terça-feira, 31 de julho de 2012

Rica casinha

Neste post tinha duas fotos minhas a pintar a casinha.
Infelizmente, pela minha postura anti-taurina,
soube que andavam uns certos senhoritos desalmadamente
à procura de imagens da minha pessoa, visto que estão
bloqueados no facebook.
Sinceramente, depois de ter a minha cara num "concurso" de misses, promovido pelo Zè das Iscas, ex-grande e querido líder da Procoiro
e ainda numa Miss Piggy por um grupo de 
vassalos autárquicos aqui do Seixal,
e como não estou para pedir royalties para usarem a minha imagem,
retirei as fotos daqui.

«Ai como é bom, assim acordar, com o Sol na janela e magia no ar».
Esta é a letra de uma canção que agora muito passa na M80, mas que me veio à cabeça durante este fim-de-semana.
É que mais uma vez rumei até Penamacor, à minha casinha em Pedrogão de S. Pedro, onde ainda adormeço ao som dos grilos e acordo ao som do cantar dos pássaros, e com um sol esplendoroso a entrar pela janela.
Um sol com uma cor diferente da daqui, uma cor dourada, quente, enfim, uma cor que adoro.
E a viagem desta vez foi de «trabalho», a limpar e mudar alguns móveis (e muitas teias de aranha, porque pelo que falei com outras pessoas, as aranhas estão particularmente activas este ano em vários pontos do país), e pintar.
Como eu digo, há duas coisas que me fazem feliz quando as tenho nas mãos: uma máquina fotográfica e um rolo ou pincel para pintar paredes.
E lá andei eu de rolo e pincel em punho, pintando a porta do n.º5 da Rua do Barrocal, a tapar alguns buracos nas paredes com gesso (afinal a casa tem mais de duzentos anos) e a pintar.
Como diz a minha mãe, parece mesmo uma casa de bonecas... é pequenina, é velha, mas é nossa e sabe tão bem partir assim e deixar tudo para trás. E é ainda melhor quando a prima Olivia nos dá batatas de quase um quilo cada, melancia fresquinha e feijão verde ou quando compramos pêssegos que sabem mesmo a pêssego por 50 cêntimos o quilo.
Em Setembro de novo lá rumo a Pedrogão de S. Pedro, agora para ser um «papa-figos», como chamam lá na terra aos que só lá vão no fim do Verão.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Isto existe realmente???

Há uma frase batida, mas que a cada dia que passa faz mais sentido para mim: «Quanto mais conheço as pessoas, mais gosto dos animais».
Não é preciso falar aqui do meu amor pelos patudinhos, que me merecem muito mais respeito do que alguns seres de duas pernas que por aí andam.
Já também aqui o disse que sou contra as touradas e por isso também "frequento" alguns grupos que discutem este tema.
Já tive conversas muito interessantes com aficionados e outras em que tive de descer ao mais baixo nível (o que também é bom, porque além de nos dar a noção do que de mais reles a humanidade tem, leva a que no final tenhamos a compreensão da nossa superioridade face a certos acéfalos).
Já vi pessoas a chamarem-me taliban e ressabiada por ser anti-tourada, e até uma «aficionada», ficar completamente histérica só porque combinei uma cerveja e uma discussão sobre o assunto nas próximas festas de Paio Pires com um assumido aficionado.

Mas algo como isto que se segue é que eu não esperava.
Devo dizer que nem comentei o que esta «pessoa» diz, porque uma coisa é descer a um certo nível, outra é enterrar-se em estrume.
Aqui ficam algumas pérolas de uma dita aficionada (sinceramente, até tenho dúvidas que seja alguém real, mesmo porque a dita até refere que nem vive em Portugal).
Mas tal como outros cobardes, esta também usa a Internet para debitar as suas aberrações. Senão, vejam o que a Senhora Dona Lurdes Gonçalves Pereira:

Sobre os anti-touradas:


Sobre a necessidade do Tarrafal:


Sobre a necessidade de campos de concentração:


 E a pérola maior, da admiradora de Salazar:


Estes e outras pérolas (como a madama gosta de dizer) são debitados no facebook da RTP e em tudo o que são perfis anti-touradas.
Francamente, se fosse aficionada tinha mesmo muita vergonha de ter algo tão abjecto a falar em meu nome.
Como é que aos 41 anos, alguns ditos «humanos» ainda me conseguem surpreender...

P.S - Esta é de outro orgulhos prótoiro, que também partilho pelo seu "elevado nível"... xenófobo. Mas aos anti-touradas é que estes mininos andam a chamar terroristas e talibans...

sábado, 21 de julho de 2012

Obrigada!!!


Não tenho escrito aqui, o calor, a falta de tempo e alguma preguiça são os culpados.
Mas hoje, com a morte de uma bombeira em Abrantes, e com a situação catastrófica do país, não podia deixar de fazer esta homenagem.
Ainda por cima quando não faltam os apelos para que seja a população a ajudar os bombeiros de Tavira com bebida e alimentos, uma vez que, alegadamente, até um bar dessa cidade, recusou gelo aos soldados da paz.
No more coments...

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Campera e Lennox

Já disse e repito, esta coisa da Internet e das redes sociais é fenomenal.
Nestes últimos dias, tive experiências únicas simplesmente através do meu perfil no facebook.
Já não falo nas discussões sobre as touradas, onde me tenho divertido imenso, e encontrado pessoas interessantes e mantido conversas interessantes até mesmo com pessoas que defendem touradas, e com as quais se pode conversar, mas também tenho visto do pior da nossa sociedade através de autênticas pitas borradas, com uma linguagem que faria corar as profissionais do Intendente.
Mas não é sobre isso que hoje escrevo.
A maior parte dos meus amigos facebookianos são pessoas que estimam e protegem os animais (felizmente o virtual também permite que se acabe com a «amizade» de imediato, logo que detectamos gentinha anormal, o que infelizmente nem sempre podemos fazer na «vida real»).
E são essas pessoas que formam reais correntes de amor e de luta.
Esta semana tivemos dois exemplos: a Campera e o Lennox.
Eram dois cães. Eram, porque morreram devido à estupidez do bicho-homem.
A Campera foi recolhida pela União Zoófila, que tudo tentou para salvar um animal extremamente maltratado, mas não conseguiram vencer a luta contra a morte.
O Lennox era um cão, que teve o azar de ser parecido com um pitt-bull num país tão retrógado que tem leis que proibem por completo esta raça, e depois de processos em tribunais, acabou por ser assassinado legalmente na Irlanda  pelos "senhores" da Câmara de Belfast.
Estes dois casos foram seguidos por milhares de pessoas através das redes sociais.
E, segundo o Jornal de Notícias, a pressão sobre a Irlanda foi tal que já está previsto um bloqueio àquele país de batateiros.
Segui também a história destes dois animais e chorei, sim, chorei quando soube num dia da partida da Campera e no seguinte do assassinato do Lennox.
Sem esta coisa da internet e das redes sociais, muito possivelmente nunca teria sofrido por estes animais. Mas também não tinha encontrado tanta gente com o coração cheio de amor pelos patudos. Nem tido a noção de que este amor pode e vai mover montanhas e preconceitos.
Por isso, a todas essas pessoas, tenho orgulho de chamar Amigos.

terça-feira, 10 de julho de 2012

Ensinar

No programa «Contra-Corrente» na Sic Noticias, discute-se a educação, e fala-se que ensinar é carolice.
Um amigo professor enviou-me à bocado a conversa que teve com um aluno pelo facebook.
Aqui fica:

§  Olá voce está cotente com nosco?

§  Olá! Claro que estou contente convosco. Vocês trabalharam imenso os dois últimos anos, foram incansaveis! Tenho orgulho de ter sido vosso professor.
Deram dores de cabeça e gastaram a minha paciência mas foram uns alunos impecáveis.
Confesso-te que fiquei muito preocupado convosco quando vi o exame, porque era mesmo muito difícil. O exame da 2º chamada foi muito facíl. Se vocês tivessem feito esse exame aposto que quase todos teriam tido positiva.
Um abraço e boas férias

§  obrigadopara este ano voce cvai dar matematica com a nossa turma e vai para a escola?
   
§  ainda não sabemos como irá ser, mas irei estar na escola porque ainda tenho que fazer mais uns meses de estágio na universidade.

§  eu tenho orgulho de ter um professor tao bom

sábado, 7 de julho de 2012

De olhos em bico

Há coisas que me deixam mesmo de olhos em bico.
Nada tenho contra os chineses, aliás, acho que são pessoas ultra trabalhadoras, e quando se conhecem bem, excepcionais (minha querida e saudosa Ley, que tanto me ensinou sobre este povo, quando ainda tínhamos medo de ir a um restaurante chinês).
Mas não gosto particularmente das suas lojas, não me perguntem porquê.
No entanto, hoje, tive ocasião para rever algumas das minhas "condicionantes" neste campo.
Precisava de três coisitas simples: uma enxada (é verdade, vou virar-me para a agricultura, ehehehehe), uma lâmpada e uma lata de verniz para madeira (e também para a carpintaria, há que ocupar os tempos livres).
E como havia algumas coisas a fazer falta na dispensa, pensei: o melhor é ir a uma grande superfície onde vou encontrar tudo e deve ser mais barato. (Não é assim que pensamos todos??).
Rumei a uma grande superfície na Amora, e qual não é o meu espanto que os bens alimentares ali eram bem mais caros que no Aldi, onde sou cliente habitual. Ok, são de marca, dirão, e eu com isso? No Aldi compro a minha manteiga light e com pouco sal por 0,99 cêntimos, ao passo que ali a Flora é 1,49. Façam as contas.
Mas não é só por isso este meu desabafo.
Procurei o ancinho e o verniz e nada. Procurei também a lâmpada, baratinha, e o stock tinha acabado. Tudo bem, pensei, não são artigos que aqui tenham de ter, embora com a secção de bricolage e jardim.
Rumei então para uma grande superficie de bricolage. Pois aí nem ancinho e o verniz, bem, 7 euros por uma latinha onde nem cabia o pincel, no way Jose! Quanto à pequenina lâmpada, de 45volts, nérias. Só lâmpadas XPTO e um preço exorbitante.
Então fui a uma loja chinesa: ancinho, lâmpada e verniz comprados e com tudo não gastei 10 euros. E digam lá se não é para ficar de olhos em bico?
Certo que estes negócios, presumidamente, contam com apoios e isenções que os outros não contam, mas a minha carteira, nestes assuntos é que manda. E depois não querem que se diga que no «chinês» é que se encontra de tudo?

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Hipocrisia

Já sabem que sou contra as touradas. Não consigo conceber um espectáculo onde um animal indefeso é espetado e torturado para gáudio de uns quantos...
Pode até parecer um pouco de hipocrisia da minha parte, mas até aceitaria que se fizessem espectáculos de forcados ou de toureio a pé, sem a parte de se espetarem as bandarilhas.
Assim como não assisto a largadas, mas aí trata-se de um animal quase em igualdade de circunstância com homens.
Agora que me digam em defesa das touradas que estas são criadoras de emprego, precisamente uma pessoa do mesmo Governo que se está marimbando para as dezenas de empresas que fecham todos os dias e para os milhares de desempregados, isso é demais.

Deixo aqui o resumo da ANIMAL sobre a discussão da proposta das propostas do BE e do PEV (finalmente, este partido lembrou-se, ou quase, que ecologia também sifgnifia defesa dos animais) para a proibição da exibição de espectáculos tauromáquicos na televisão pública.
Como não poderia deixar de ser, devido aos lobbies que pagam milhares de euros em campanhas eleitorais a todos estes partidos, os mesmos não tiveram outro remédio senão chumbar também estas propostas de lei.

Primeira intervenção:
Catarina Martins – BE

- introdução: senciência
- as populações são sensíveis à protecção dos animais
- touradas têm um regime de excepção na actual lei de protecção
- Estudo do ISCTE e estudos em Espanha
- 80% da população 15-24 anos opõem-se às touradas
- a TVE não transmite touradas
- Catalunha e Astúrias não tem touradas
- Outros países América-latina
- Apresenta os dois PL, cita valores dados por algumas autarquias (Santarém, Castro Marim, Setúbal)
- A TVI e SIC se quiserem passar touradas terão que cumprir as regras

Cita Miguel Macedo - PSD (há 13 anos): É preciso tomar as preocupações de outros países em relação à idade mínima
________________________________________
Heloísa Apolónia – PEV

- “Os Verdes são pelo fim das touradas, mas não é isso que estamos aqui a discutir”.
- Não é a primeira vez na AR nem nesta legislatura que é discutida a questão das touradas
- O PEV viu o que era possível viabilizar
- O PL tem 2 objectivos: a lei de protecção dos animais diz que a touradas são lícitas – tem que ser alterado, tem que passar a ser ilícito e depois fazer um regime de excepções
- É um espectáculo violento – ninguém tem dúvidas disso
- Cita Teresa Caeiro – CDS-PP (em 2010) – “Aceitamos que se considere um espectáculo bárbaro e que incite à violência” – está nas actas da AR
- Vamos remeter as touradas para o sítio certo
- Os Verdes pedem para a Lei da TV para classificar para maiores de 18 anos, com todas as consequências: a partir de uma determinada hora e com bolinha vermelha
________________________________________
Sérgio Sousa Pinto - PS

- Os pontos de vista dos partidos que apresentam as PL são legítimos
- A tourada é milenar
- Os partidos não têm a sensibilidade para os pontos de vista diferentes
- Os PL são tributários de uma corrente de opinião – onde se prevalece os direitos dos animais em detrimentos da cultura
- Ao aceitar, o legislador assumiria que a tourada é bárbara e caminharia para a sua extinção
________________________________________
Odete Silva - PSD

- A tauromaquia é parte integrante do património material e imaterial
- é arte
- é o motor de economias locais
- 90% das praças fixas pertencem às Santas Casas
- cada tourada é organizada por 175 pessoas
- Existem 110 ganadarias que dão emprego a 370 pessoas
- criação de cavalos, confecção de trajes
- O BE ataca o ambiente rural, a caça e a pesca
- A caça tem 100 000 federados
- indica o número de federados na pesca
- 60% da população vê touradas na televisão
- A liberdade acaba…
- 1 povo que esquece as suas tradições não existe
________________________________________
Paulo Sá – PCP

- As leis de protecção dos animais são exigentes mas não há meios técnicos e humanos
- tem que se apostar na fiscalização
- não só aos animais domésticos
- O PCP entende não ser acertado proibir as touradas
________________________________________
Margarida Neto – CDS-PP

- Os PL são todos diferentes todos iguais – têm os mesmos limites das liberdades
- Os estudos citados nunca ninguém os leu, nem os comprovou
- Telecomando e zapping
- A última tourada que passou na RTP teve mais espectadores que o BE teve em votantes nas últimas eleições

(muita risota e olés)
________________________________________
Pedro Delgado – PS

- É uma assunto que causa muita discussão, mesmo dentro dos blocos parlamentares
- É contrário ao que o colega disse (Sérgio Sousa Pinto)
- O que está em causa é o apoio público
________________________________________
Catarina Martins - BE

- Não se espanta com o que ouviu, vindo de quem acabou com os feriados e reduziu a cultura a uma anedota
- Não leram os PL, o BE não pede a proibição das touradas, mas sim os meios públicos para as touradas
- pede para que a lei da TV seja actualizada
- “não seja cínicos, querem dinheiro para as touradase nós achamos que não pode ser, é isto que está em cima da mesa”
________________________________________
Heloísa Apolónia – PEV

- para Margarida neto – está cega e virou-se para o lado errado (PEV)
- CDS-PP não apresentou nada para a lei da TV relacionada com os menores e o PEV sim
- Se a liberdade acaba no telecomando, a deputada acabou de assumir que não há restrições à programação
- “agora venha apresentar um PL para acabar com as restrições, digo-lhe já que os Verdes votam contra”


domingo, 1 de julho de 2012